segunda-feira, 8 de novembro de 2010

SMOKE ON THE WATER: Um Hino do Rock & Roll

 ( SMOKE ON THE WATER: A Rock & Roll Hymn )


(fig. 1)


(fig. 2)


Olá! Como estão?


E agora a pergunta que não quer calar! A pergunta de um milhão de dólares:

ATENÇÃO...

O que existe de comum entre a fig. 1 e a fig. 2????????????????
Acertou quem disse que ambas fazem referência ao grande Deep Purple! A primeira ilustra Smoke on the Water, e a fig. 2 é uma paródia da capa de um disco do Purple, que aliás, também refere-se a " 'Smoke On The Water'"!


Bem, falar deste verdadeiro HINO que atravessou anos e embala até hoje as novas gerações é extremamente fácil, apesar de quê, acredito que quase tudo já tenha sido falado/escrito sobre esta "obra-prima do Rock"! Esta pérola foi criada a partir da experiência vivida pelo Grupo no final de 1971 em Montreux, na Suiça. O vocalista Ian Gillan deu uma de Johnny Van Zant (vocalista do Lynyrd Skynyrd), que compunha usualmente pela sua própria experiência vivida - ótimo!


Assim como o Led Zeppelin com a sua elaborada "Stairway To Heaven", o Deep Purple conseguiu o seu lugar na escola dos quê cismavam em tocar seus violões e guitarras. Iniciavam e tocavam até as suas "perfeições"... Rsrss. Quem nunca teve um amigo que, tocando o seu instrumento não "levou": 'tam-tam-tam... tam,tam,tam tam... tam tam tam, tam tam..." ??? Hahahaha... é verdade! Este magnífigco riff de Mr. Richard Blackmore encanta e contagia qualquer ouvinte! O que os americanos conseguem fazer com o refrão de suas músicas Hard & Heavies, Ritchie Blackmore, assim como Keith Richards (Rolling Stones/Satisfaction) conseguiu fazer! O seu riff virou refrão!


Bem, para os que conhecem a história do LP "Machine Head", esta música sintetiza todo o clima dramático que envolveu a sua gravação. Muitos consideram este o melhor trabalho dos 'Purple(s)', e aqui vale a ressalva... (Eu não!). Mas isto não vem ao caso agora, pois este POST é uma homenagem aos criadores desta fantástica música , e principalmente, um presente para os que realmente  a amam, assim como eu! Mas algumas advertências se fazem necessárias: Aqui vocês serão levados do Céu ao Inferno, ou vice-versa, a depender de suas preferências 'roqueiras'.

Apertem os cintos, e lembrem-se: "Estamos na 'Era da Revolução da Informação', então, toda a informação é válida!". Como disse Rob Halford (vocalista do Judas Priest) à Crítica da época: "Não critiquem aquilo que vocês não conseguem entender!". Ou não gostam. Sempre vai ter alguém (??) que vai gostar daquela "coisa"... :)

(*) - É só clicar no número entre < > !!

<01> - Deep Purple - Comecemos a nossa viagem com a ORIGINAL! Deep Purple, disco "Machine Head",gravada nos corredores de um Hotel com a Unidade Móvel dos Rolling Stones. Cadenciada, acentuando a marcação altamente robusta e técnica de Ian Paice na bateria. Jon Lord preenche a música com o seu Hammond, Glover marca pacientemente em seu contrabaixo um impaciente (e até certo ponto-jazzístico) Ritchie Blackmore enquanto Ian Gillan interpreta o que foi para eles um grande susto, porém um momento único em suas carreiras! Sem sombra de dúvidas eles conseguiram criar um Hino, e Blackmore conseguiu entrar para o hall dos criadores de riffs imortais do Rock & Roll.

<02> - Ian Gillan Band - Em seguida pularemos alguns anos e encontraremos Ian Gillan com a sua IGB executando-a 'Ao Vivo' em Tókio. Vocês notarão as influências totalmente Jazzísticas da Banda nesta interpretação! Prestem bastante atenção a marcação TOTALMENTE incomum do excelente baterista Mark Nauseef, um dos GRANDES bateristas da História do Rock & Roll!! IMPECÁVEL! Por um momento ele ofusca todos os outros membros desta excelente Banda. Bem, afinal de contas o vocalista é o senão glorioso Ian Gillan! A sessão rítmica de Nauseef é impressionante! Em sua segunda parte então, baixo, bateria e teclados fazem as convenções para os solfejos de Gillan e os solos de guitarra de Ray Fenwick, que sinceramente, se não são fantásticos, também não comprometem. Porém é inegável que o baixista John Gustafson, que o excelente tecladista Colin Towns e que Nauseef estavam a altura de acompanhar o exímio vocalista! Apreciem esta versão excelente, diferente e completamente 'roubada' pelo baterista!

<03> - Black Sabbath - E de novo o velho e grande Ian Gillan nos surpreende! Desta vez indo substituir ao não menos grande Ronnie James Dio de sua primeira saída do Black Sabbath. Na época liamos em revistas especializadas e esperávamos com avidez o Lp que se chamaria 'Born Again'. Quantas e quantas vezes lemos que o Sabbath estava executando 'Ao Vivo' "Smoke On The Water" e ficávamos a imaginar como seria este Hino com as execuções de Iommi e Butler, respectivamente guitarra e baixo. Bem, aqui a temos com Bev Bevan (ex-Eletric Light Orchestra) na bateria. Tony Iommi mostra desde o início que é ele, e não Blackmore que está na guitarra. Riff alto e poderosíssimo enquanto Geezer Butler fica comportadíssimo no contrabaixo. Sem dúvidas Gillan ainda consegue brilhar apesar da algumas intervenções cirurgicas em suas cordas vocais no decorrer dos anos, enquanto Iommi faz o seu solo com o seu 'jeito Tony Iommi de tocar'.

<04> - Deep Purple (MK IV) - Dá-se o nome de 'MK IV', ou a quarta formação (marco), neste caso do Deep Purple. Esta formação contava com os fundadores Jon Lord nos teclados e Ian Paice na bateria, além dos remanescentes da MK III David Coverdale nos vocais e Glenn Hughes no contrabaixo e vocais e o excelente guitarrista Tommy Bolin - um dos meus guitarristas preferidos e pertencente a minha tríade sagrada do instrumento (os outros dois são Randy Rhoads e Jimi Hendrix). Nesta versão 'Ao Vivo' em Long Beach em 1976, é interessante ver como Coverdale e Hughes dividiam os vocais, como Bolin, com a sua 'levada' jazzística se saía entre um enfurcido Paice e um harmonioso Lord! Mas o ponto alto desta versão é realmente o intermezzo que Hughes faz com 'Georgia On My Mind' de Ray Charles. Que voz incrível! Entre microfonias descontroladas, excelentes solos de teclado, marcações precisas do contrabaixo de Hughes passeando por todo o braço de seu instrumento esta versão ficou por muito tempo relegada aos discos piratas só entrando para o catálogo oficial da Banda com o advento do CD. Um documento Histórico, sem dúvidas!


<05> - Deep Purple (Gillan & Dio) - Da série "Grandes Encontros", desta vez o Deep Purple se encontra com Ronnie James Dio! Um momento Histórico para qualquer Fã do Rock & Roll, pois ali naquele palco estavam também dois ex-vocalistas do Black Sabbath!Este registro é datado de 1999 e é proviniente de um Show que comemorava os 30 anos de lançamento do disco "Concert For Group And Orchestra". Interessantíssimo vermos (ouvirmos na verdade) a integração da Orquestra Sinfônica de Londres com a Banda, principalmente com o exímio guitarrista Steve Morse. Paice continua impecável, Lord excelente Maestro, Glover marcador como sempre e Gillan e Dio dando um Show com suas inconfundíveis vozes marcantes! Outro Clássico!

<06> - Paul D´ianno´s Killers - Esta versão entra aqui pois é um tributo ao Queen e ao Purple executado pelo primeiro vocalista do Iron Maiden, e por sua Banda - Killers - formada também por dois ex-integrantes da Tokyo Blade. É interessante ver D´ianno cantando a eterna influência de vários e vários músicos mundo afora durante décadas! Desta vez temos aqui duas guitarras e não mais um teclado para harmonizações. D´ianno se sai muito bem!

<07> - Dream Theater & Bruce Dickinson - Com toda a maestria instrumental do Dream Theater e mais a interpretação do fã confesso de Ian Gillan, Bruce Dickinson vocalista do Iron Maiden junto ao seu colega de função do Theater, que canta a primeira parte da música, James LaBrie. John Petrucci (guitarra), John Myung (baixo), Mike Portnoy (bateria) e Derek Sherinian (teclados) realmente arrebentam nesta versão! Escutem! Pessoalmente gosto muito do Dream Theater e o seu estilo Heavy Progressivo. Mas principalmente por que eles são Músicos com 'M' MAIÚSCULO! Tocam de Elton John a Zeppelin, do Pink Floyd ao Dixie Dregs, do Queen ao Kansas. Fabulosos!

<08> - Nirvana - Uma gravação antológica do Nirvana tocando também o Hino, acreditem! Bem, esta versão é o estilo 'Nirvana', para o público 'Nirvana', com a competência 'Nirvana' de ser e executar. Valeu Kurt, que até "passeia" por um hit dos Stones! É lógico que a gravação é Bootleg, não oficial, então, apenas curtam - os que gostarem do Nirvana é claro!

<09> - Metallium - A hora e a vez do Power Metal oriundo da Alemanha. O destaque desta versão, além do peso, vai para os incontroláveis bumbos do baterista que confesso aqui não saber quem é, se Michael Ehré ou o Mike Terrana.O som é alto e avassalador!


<10> - G3 - O quê dizer de três exímios guitarristas da atualidade dividindo o mesmo palco e executando a mesma música ao mesmo tempo? Pois é o que fazem Joe Satriani, seu ex-aluno Steve Vai (é...) e o já citado aqui anteriormente, John Petrucci do Dream Theater (o cara tem competência para tocar com estas duas feras não?). Pois é, por alguns minutos os japoneses vibraram e foram presenteados com esta brilhante versão. Além destas três feras, o vocal fica por conta de Matt Bissonette (ex-David Lee Roth Band), Jeff Campitelli (baterista de Satriani) e Billy Sheehan (contrabaixista ex-Tallas, ex-David Lee Roth Band e ex-Mr. Big). O destaque vai para os duelos dos três se transformando em um mega-solo!

<11> - Yngwie Malmsteen - Não se tem muito o que falar deste músico. O cara é fã de Blackmore, é um put@ músico. Tá, uma personalidade difícil, mas quem irá sentar na mesma mesa de um bar que ele? Eeeppsss! Preciso ter cuidado com o quê eu digo! Quase nos sentamos na mesma mesa de um Bar em Lençóis com um "nativo" chamado Jimmy Page(!) quando ele morou por ali alguns tempos! Bem, além da cranificina do solo do sueco, o destaque vai para o final da música, similar a da versão do Deep Purple em seu "Made In Japan".

<12> - Biréli Lagrène e Jaco Pastorius - Desta vez temos aqui o guitarrista francês Biréli Lagrène, fãzaço de Django Reinhardt (que tem também reconhecidamente como seu fã Jimmy Page do Led Zeppelin), e um dos maiores contrabaixistas que o Mundo já viu/ouviu, Jaco Pastorius! Claro, a leitura é Jazz instrumental com uma introdução clássica e extremamente habilidosa! Vale a pena uma audição minunciosa... EXCELENTES músicos!

<13> - Dick Dale - O guitarrista canhoto Dick Dale, rei da Surf music, revela aqui a sua versão, também
instrumental, deste clássico. Com a sua sempre estridente guitarra, Dale dá uma leitura totalmente inovadora, bem focada no rítmo e com passagens solos dos instrumentos de base (baixo e bateria) esta versão não faz feio, ao contrário, soa como uma homenagem!

<14> - Hayseed Dixie - Esta Banda norte-americana mostra a sua versão com muitos metais e backs femininos. Uma versão engraçada que até lembra arranjos de Paul Anka, Frank Sinatra, sabe-se lá quem! A Dixie é conhecida por suas covers de Hard Rock com toques extremamente sulistas de Bluegrass, Honk Tonky e Country & Western. AC/DC e Kiss já fizeram parte de seu set list. Apesar de estranha vale a pena dar uma conferida!
 

<15> - Señor Coconut - Esta é da série: "Será que isto é verdade?" - Acreditem, este cara é um alemão que atende por este pseudônimo e é acompanhado por "Su Orquestra" fazendo versões em ritmos caribenhos de 'Salsa y Meregue' (!???!!). É incrível o que podem fazer com esta música! Meu Deus! Apenas escutem!

<16> - Dolapdere Big Gang - Affff....turcos! Estes vêm da Turquia!! Istambul! Vocês já devem imaginar! Até que o "turquinho" canta legal, e atrás aquela 'montanha de instrumentos árabes...afff...E aquele jeitinho árabe de dedilhar... DEFINITIVAMENTE ESTES TURCOS ME PERSSEGUEM! A música está no maior 'estilão' "dança-do-ventre", saca só!

<17> - Acid Drinkers - Esta abre uma sequência de três momentos para os mais radicais e revoltados! O Acid Drinkers é uma Banda de Thrash Metal oriunda da Polônia. Já viram que estes caras têm tudo para serem revoltados, né? No entento os caras são criativos! Começa com um trecho de Gillan conversando com o público em 1972 no Japão, anunciando a música e depois de uma inrtodução um tanto quanto preguiçosa, eles vem fazendo a linha "corre e cadencia". Sem dúvidas uma leitura diferente. O baterista é bom , e guitarrista faz algumas frases originais de Mr. Blackmore.

<18> - Soulfly - Esta é a versão do ex-Sepultura Max cavallera em seu novo projeto naquela época. Thrash, lembrando o Slayer e um pouco o Sepultura. O baterista Joe Nunez utiliza muito bem a técnica dos dois bumbos.

<19> - Throne Of Chaos - Estes vêm da Filândia, fazendo um speed-thrash metal. Para os que gostam, ficou muito legal! Exodus é o quê me vem a cabeça.


<20> - Vintagent - Da série "Será que isto é verdade? No.2". è um mercado árabe! Tem de tudo: house, dance, techno, remix, Ozzy ... Meu DEUS! No comments! Para os quê quiserem fazer uma rave é só deixar tocar este negócio sem parar!

<21> - Emmerson Nogueira - Na sequência uma versão acústica de nosso brasileiríssimo Emmerson Nogueira. Voz, violão e percussão. Eu ainda acho que ele criativamente dá uma misturada no riff para parecer com "Whithout Love" do Doobie Brothers... eu acho! Diferente, mas agradável. Versão para Barzinhos! :)

<22> - No Gillan - Um presentinho para vocês! Da série: "Mamãe eu quero cantar como o Ian Gillan!". Conseguimos a versão instrumental sem os lead vocals, apenas com os backs! Treinem!!!

<23> - No Blackmore - Presentinho dois! Este já é da série: "Papai me dá uma guitarra que eu solo igual ao
Blackmore!". Muito bom para os que querem solar e excelente para ouvirmos o trabalho de contrabaixo de Glover durante o solo... Joguem duro! Treinem!!!

<24> - PURESANG vs. Deep Purple - O que é isto? Temos aqui agora o volume 3 da série "Será que isto é verdade?". Mas como falamos lá em cima, quase no início do POST: "Aqui vocês serão levados do Céu ao Inferno" e lembrem-se: "Sempre vai ter alguém (??) que vai gostar daquela "coisa"..." - Será?

<25> - Dreamtime-mix - Ei, apesar do nome, esta é uma versão para os quê realmente são AMANTES deste Hino! Trata-se de uma ALTAMENTE competente mixagem das três execuções de "Smoke..." nos três dias de apresentações da Banda no Japão em 1972! A música ficou com quase treze excelentes minutos que fazem qualquer Purplemaníaco viajar com esta apresentação! Muito bem feito! Audição altamente recomendada!

***************************

Pois é! Esta é "Smoke On The Water" retratada aqui em suas várias 'facetas'. Tenham certeza que muitas outras versões exixtem por aí. Estas são só algumas! Não é a toa que esta música foi escolhida para a quebra do recorde em Kansas com 1680 guitarristas a executando em 03/06/2007. ( http://madmikey.mu.nu/archives/2007_06.php )

(1680 guitarristas em Kansas)

E logo depois na Alemanha quebrariam o record com mais de 1800 guitarristas. Guinness neles! Ou melhor, na música do Deep Purple! ( http://www.spiegel.de/international/zeitgeist/0,1518,490522,00.html )

(1800 guitarristas na Alemanha)

Valeu, até a próxima! Ahhh, para a rapaziada que está escrevendo para o salada.rock@gmail.com , não me esqueci do RATT!! Fiquem tranquilos, estou revigorando as idéias acerca do POST! Abraços!

SMOKE ON THE WATER





Um comentário:

Gabriela Janezic disse...

Parabéns pelo blog! Ele realmente mostra o verdadeiro Rock'n Roll!
Gostaria muito que vc me seguisse tmb, visto que temos estilos tão parecidos! Seja bem-vindo! www.classicrockhistory.blogspot.com

hits Online Users

De onde vem..

www.e-referrer.com

BlogBlogs.Com.Br

    IP
Comentar/adicionar no Comentarium Blogroll Center Music Paperblog :Os melhores artigos dos blogs
Contador de visitas