domingo, 24 de outubro de 2010

GRAND FUNK RAILROAD - Todo o peso da estrada de ferro que leva ao Heavy Hard Rock


( GRAND FUNK RAILROAD - All the weight of the railroad that leads to the Heavy Hard Rock )



Incrível, mas não estou conseguindo terminar o meu post sobre o Ratt. Simplesmente empaquei! Não que eu não tenha o quê falar sobre eles, mas, simplesmente as idéias estão me fugindo a cabeça. Peço desculpas à vocês, pois a isto se deve também este 'gap' sem posts.
:(
Então, como forma de desafiar o meu próprio 'bloqueio', específicamente sobre o RATT, decidi escrever agora sobre uma das Bandas que eu acredito ser o fiel retrato do Rock & Roll, e todo o desafio por quais passamos nesta vida! E esta Banda é o GRAND FUNK RAILROAD!
O Grand Funk é uma, e a única americana, das cinco Bandas precursoras do Heavy Metal/Hard Rock. As outras quatro são todas inglesas: Led Zeppelin, Deep Purple, Black Sabbath e a injustiçada, Uriah Heep. Cada uma destas cinco Bandas tem uma característica própria e marcante. Os seus sons são inconfundíveis para os que as conhecem. E destas cinco, o Grand Funk, por ser americano, contra-atacando a segunda onda de invasão inglesa ao seu território (a primeira se deu com Bandas como Beatles, Rolling Stones e The Who), foi a mais duramente criticada, não pelos seus "malabarismos" temáticos ou instrumentais (vide Uriah Heep), mas exatamente pelo contrário: a falta de técnica de seus componentes e seu som sujo e pesado.


O Grand Funk nasceu em Michigan, mais precisamente na cidade de Flint, em meados dos anos 60 com o nome de Jazzmasters, e logo depois, se juntaram a um disk-jockey chamado Terry Knight. Terry chegou a lançar uns dois álbuns com a sua Banda de apoio, o "The Pack" - pré-Grand Funk, cujo os integrantes eram Mark Farner (guitarras), Don Brewer (bateria), Craig Frost (teclados) e  um baixista chamado Don Lester. Após idas e vindas, encontros e desencontros de Terry com os Pack, em 1969 Terry Knight se converte a Produtor e Empresário deles, agora rebatizados de Grand Funk Railroad, um trocadilho com a estrada de ferro de Flint, Grand Trunk Western. Mais ou menos neste tempo o baixista Mel Schacher entra no grupo. O "ambiente" da época se tornou bastante propício para o crescimento de popularidade do Grand Funk entre os jovens americanos devido ao período de dissolução dos Beatles - a falta de ídolos para aquela juventude, a Guerra do Vietnã - grande palco de desilusões, mortalidade e repúdio desta mesma juventude, além de uma total falta de credibilidade dos jovens para com os "donos do sistema". Assim, aproveitando-se de todo este descontentamento, e também com o espírito "visionário" de Mr. Knight, eles caíram no coração e nas graças destes jovens, com suas letras pacifistas. revolucionárias e ao mesmo tempo com um som sujo, mas totalmente energético!!! Suas apresentações ao vivo eram brutais e selvagens, o que propunha uma enorme identificação com esta juventude. Uma prova do quê estamos dizendo está registrado na primeira faixa do álbum ao vivo Grand Funk - Live Album. de 1971, onde no início de "Are you Ready" a Banda chega a ser "sufocada" pela audiência!!


Quando dissemos que o GFR era um exemplo "de vida". Escutem a 'crueza' do primeiro disco "On Time". Mais específicamente a faixa 'Heartbreaker' (não confundir com o petardo do Zeppelin II). Esta música é carregada de uma emoção ímpar, e com um adendo: apesar de na época já existir o recurso de mixagem e gravação por pistas, o bom Mark não consegue terminar uma escala, ponto de destaque da música, sem "enganchar" nas cordas. Simbólico. No disco ao vivo de 1976, "Caught in The Act", esta mesma música é executada com perfeição e até mesmo com uma pitada de ironia. Ouçam!

O GFR teve de lutar contra a pesada crítica da época, contra os seus "pares" ingleses (Jimmy Page certa feita disse: "O Grand Funk é uma barulheira só! Eles são incapazes de fazer números acústicos como fazemos!" - Led Zeppelin), contra a má administração financeira de Terry Knight, e até contra o tempo, uma vez que eles tinham de estudar muito seus instrumentos, além de gravar e fazer Shows. Por outro lado, a seu favor, toda uma geração de jovens americanos, um cobiçado mercado para qualquer artista até os dias de hoje. A grande verdade é que a "massa" elevou o GFR até um lugar de destaque no mercado americano, e a crítica, com o passar dos álbuns teve de reconhecer o talento e o poder deles! Eles venceram por sua luta e garra - uma lição de vida! Eles se tornaram a resposta Americana aos Ingleses! Em 1972, um grande amigo dos primórdios da Banda retorna. Craig Frost, e com a sua ajuda, agora a Banda refina o seu som! No lançamento deste mesmo ano, "Phoenix", uma analogia ao término, e ao resnascimento sem Terry Knight. Neste disco já se percebe uma fortíssima influência de Frost, influenciando até mesmo Mark a tocar um agressivíssimo órgão em algumas faixas, notadamente na primeira, 'Flight Of The Phoenix'. Este disco, para mim, entra no HALL dos imprescindíveis para se ouvir e ter, seja em qual forma de mídia ou armazenamento for. A saber: fita de rolo (muito antiga), fita k-7, vinil, CD,MP3, qualquer coisa, mas tenham!!
 

E aí, abre-se uma sequência do "HALL dos imprescindíveis": 'We´re American Band" - precisa dizer mais alguma coisa? Só reforça o que falamos acima: EUA x Inglaterra; "All the Girls in The World Beware" de 1974, muito bom LP! O seu trabalho de capa, fêz até os mais ingênuos pensarem na época: "Putz, os caras são 'put@ malhados' - e sem a informática "comendo no centro" hein - Geração mouse/Windows-? Hehehe, brincadeira!; No mesmo ano (74), "Shinin´ On", que além de 'imortal' musicalmente, traz uma outra capa 'futurista' - com direito a um óculos 3D!; Em 1975, (76 para nós brasileiros), o imperdível álbum ao vivo - "Caught In The Act", citado anteriormente. Na minha opinião, muito melhor do quê o "Live Album" de 1971, por motivos óbvios. A Banda está mais madura técnica e musicalmente, com um enorme domínio de palco, e acima de tudo afiadérrima, em contra-ponto a histérica apresentação de 1969 - lançado em 1971. Sguramente um dos melhores registros ao vivo do Rock & Roll!; "Born To Die", ainda em 1975, feito sob uma enorme pressão sentimental, pois Mark perdia um primo seu em um acidente rodoviário. Um disco cheio de sentimentos, dor, revolta contra os políticos e sua leis e até mesmo questionamentos religiosos. A sua capa, um tanto macabra diz tudo. Para quebrar o clima, "Sally", composta para uma antiga namorada juvenil de Farner, uma balada-country ingênua; E finalmente, encerrando a sua fantástica primeira fase, um LP produzido por Frank Zappa, com o sarcástico título "Good Singin´Good Playin´ " - "Cantando Bem, Tocando Bem", só ouvindo para crer na competência e descontração da Banda. FANTÁSTICO!


Bem, após um hiato de alguns anos, o GFR se reuniu de novo e lançou mais alguns álbuns, anos a fora, alguns até com formações diferentes, sem Mel Schacher e até mesmo Mark Farner. Não iremos aqui abordar esta outra fase por apenas acreditarmos quê a ESSÊNCIA do Grand Funk Railroad se concentra, realmente na fase 1969-1976. Não que não hajam trabalhos interessantes na fase mais nova, mas não ousaremos sequer comparar. Apenas ouçam os trabalhos e teçam as suas próprias opiniões. Isto é Democracia, isto é a vida - isto é o Grand Funk Railroad!

(*) - Para os quê se interessarm pela envolvente história desta fantástica Banda, por favor visitem o BLOG co-irmão, ( http://cavalosemnome.blogspot.com/search/label/Grand%20Funk%20Railroad ), que traz também a discografia e um excelente texto da GRANDE REVISTA "Rock, a história e a glória" de 1975.
Clique na capa do livro abaixo para acessar o BLOG co-irmão mencionado acima!


Nós temos :) !!!
Abraços e até a próxima!



Discografia: 

Grand Funk Railroad - 1969 - ON TIME
Grand Funk Railroad - 1970 - GRAND FUNK
Grand Funk Railroad - 1970 - CLOSER TO HOME
Grand Funk Railroad - 1971 - LIVE ALBUM
Grand Funk Railroad - 1971 - SURVIVAL
Grand Funk Railroad - 1971 - E PLURIBUS FUNK
Grand Funk Railroad - 1972 - PHOENIX
Grand Funk Railroad - 1973 - WE'RE AN AMERICAN BAND
Grand Funk Railroad - 1974 - ALL THE GIRLS IN THE WORLD BEWARE!!!
Grand Funk Railroad - 1974 - SHININ'ON
Grand Funk Railroad - 1975 - CAUGHT IN THE ACT
Grand Funk Railroad - 1975 - BORN TO DIE
Grand Funk Railroad - 1976 - GOOD SINGIN', GOOD PLAYIN'
Grand Funk Railroad - 1981 - GRAND FUNK LIVES
Grand Funk Railroad - 1983 - WHAT´S FUNK?

Grand Funk Railroad - 1997 - BOSNIA
          Part1
          Part2

(**) Um presentinho especial para os nossos LEAIS leitores e FÃS desta Banda - História e Garimpagem pura!

* Pré-Grand Funk Railroad *



- Terry Knight & The Pack - Reflections (1967) 
          LP
          Singles

- Terry Knight And The Pack - Terry Knight And The Pack (1966)
          LP



Um comentário:

Rock for Women! disse...

Ola Jack,

Queria agradecer os elogios,estou fazendo uma arrumação nos blogs pelo tempo que fiquei afastada acredito que eles mereçam um up,enfim assim que organizar teu blog sera um das minhas listas de blogs.

Beijos e parabens pelo teu blog,ele é fantastico.

hits Online Users

De onde vem..

www.e-referrer.com

BlogBlogs.Com.Br

    IP
Comentar/adicionar no Comentarium Blogroll Center Music Paperblog :Os melhores artigos dos blogs
Contador de visitas